Home > Notícias > CANOAS - Sindicato acompanha trabalhadores do Gracinha após demissões

09/04/2019 - CANOAS - Sindicato acompanha trabalhadores do Gracinha após demissões


Compartilhe nas suas redes sociais!


Tiago Coutinho - Estagiário Comunicação

Na manhã desta terça-feira (09), a diretoria do Sindisaúde-RS foi a uma reunião com várias autoridades em Canoas, onde foi defender os 27 trabalhadores demitidos subitamente do Hospital Nossa Senhora das Graças, que na segunda haviam convocado o sindicato logo após o ocorrido. No entanto, após terem recebido a garantia dos administradores do hospital, a Associação São Miguel, do pagamento de todas as rescisórias devidas, os trabalhadores comunicaram ao sindicato que não iriam querer contestar a decisão.

Como entidade representativa da vontade da categoria que representa, o Sindisaúde-RS acatou a decisão soberana dos trabalhadores. Porém, o presidente Arlindo Ritter cobrou da gestão um posicionamento acerca da terceirização dos serviços no hospital, que foi o fator motivante da demissão de segunda.

A Associação garantiu que não acontecerá a terceirização de mais nenhum setor. Os vereadores atuaram como mediadores neste processo e ficaram incumbidos de redigir a ata comprometendo publicamente o hospital a cumprir com os compromissos assumidos.

E o sindicato, representado ontem por Ritter, o vice, Julio Appel, os diretores Carlos Alexandre Silveira e Júlio Duarte e o delegado sindical João Gonçalves, continuará de olho cobrando os administradores, dado que tem informações de que os setores de higienização e nutrição podem ser os próximos alvos da gana por lucros dos gestores.

A reunião

A reunião visou a garantir os direitos dos trabalhadores demitidos, dado o péssimo histórico da Associação São Miguel no que diz respeito a honrar suas obrigações trabalhistas: a entidade administra também o Hospital Beneficência Portuguesa de Porto Alegre, onde tem adotado a política de demitir funcionários sem o pagamento de verbas rescisórias.

No entanto, a reunião, que contou, além do Sindisaúde-RS, com representantes dos próprios trabalhadores e com nove vereadores de diferentes partidos, a gestão se comprometeu a efetuar corretamente o pagamento das verbas rescisórias.Os colegas demitidos acabaram concordando com o pagamento das verbas, e informaram ao Sindisaúde-RS terem aceitado a situação.

Diretoria do sindicato participou da reunião para garantir os direitos dos trabalhadores demitidos (crédito da foto: Sindisaúde-RS / Tiago Coutinho)

O vice-presidente do Sindisaúde-RS, Julio Appel

Trabalhadores e diretoria unidos

 

Relembre o caso

No dia 8 de abril, a diretoria do Sindisaúde-RS foi convocada pelos colegas demitidos do hospital, e se deslocou rapidamente a Canoas. No local, o presidente Arlindo Nelson Ritter e o diretor João Gonçalves enfrentaram a gestão sobre os motivos do desligamento dos trabalhadores.

Crédito das fotos: Sindisaúde-RS / Tiago Coutinho